• Vadio

Vadio

Portugal
Ano de criação:
2005
Enólogo:
Luís Patrão

Projetos autorais comandados por uma dinâmica geração de enólogos têm promovido um vigoroso renascimento da tradicional região da Bairrada. O Vadio, inaugurado em 2005 por Luís Patrão ao lado do pai Manuel Dinis, e gerido juntamente com a esposa Eduarda Dias, é um dos motores desta nova Bairrada. Admirador da uva Baga, entre outras castas autóctones da região, Luís Patrão se dedica a resgatar o prestígio dos tintos e brancos locais ao elaborar vinhos redondos, saborosos e sofisticados ao estilo do Velho Mundo.

O jovem enólogo, que também atua no Alentejo, passou pelos vinhedos dos Estados Unidos, Chile e Austrália antes de investir em um projeto pessoal. Começou com duas parcelas de vinhedos localizadas na aldeia de Poutena, a cerca de 20 quilômetros do Oceano Atlântico. A Vinha do Rexarte fica em uma colina com exposição a oeste e solo arenoso e argilo-calcário. Tem pouco mais de 1 hectare plantado com as uvas brancas Cercial e Bical. Outro 0,3 hectare é reservado para experimentos com as uvas Encruzado, Arinto e Verdelho. Já a parcela denominada Vinha do Barrio é o território de eleição da inconfundível uva tinta Baga. Estende-se por 2 hectares em um vale de relevo ligeiramente ondulado, com solo de origem argilo-calcário, e conta com uma porção de vinhas velhas (com mais de 80 anos de idade). Os trabalhos no campo são individualizados casta a casta e seguem a cartilha da agricultura sustentável.

A vinificação acontece em um antigo armazém adaptado para a produção de vinhos sob um cuidado típico de artesão. A fermentação do Vadio Branco é feita parte em cubas de inox e 20% em barricas usadas. Já a uva Baga que compõe tanto o Vadio Tinto como o Grande Vadio fermenta em lagares com pisa a pé ou em pequenos depósitos, seguindo-se um estágio prolongado do vinho em barricas de carvalho francês e americano. Todos os vinhos são concebidos para espelhar o caráter único da Bairrada e já conquistaram a crítica nacional e internacional. Para o jornalista britânico Jamie Goode, “Luís Patrão e Eduarda Dias estão fazendo um fantástico trabalho em uma região ainda pouco valorizada”. Para a revista Wine-Essência do Vinho, que destacou Luís Patrão como Produtor Revelação de 2014, seus vinhos são “simultaneamente de autor e de terroir. Vinhos de reflexão”.

FOTOS E VÍDEOS