• Mateus Nicolau de Almeida

Mateus Nicolau de Almeida

Enólogo:
Mateus Nicolau de Almeida

Como diz o ditado “filho de peixe peixinho é”, o inquieto enólogo Mateus Nicolau de Almeida prova, mais uma vez, que herdou o enorme talento do pai João Nicolau de Almeida, com quem divide a enologia na Quinta do Monte Xisto. Reconhecido por criar tintos e brancos autênticos e muito puros, Mateus volta a surpreender os amantes de vinhos com mais este impecável projeto pessoal. Seu portfólio é o espelho de uma filosofia muito particular sobre o Douro, uma das mais selvagens e imponentes regiões vitivinícolas de todo o mundo.

Os tintos Trans Douro Express oferecem uma verdadeira viagem pelos peculiares aromas e sabores das diferentes subregiões do Douro: Baixo Corgo, Cima Corgo e Douro Superior. As uvas são compradas de viticultores parceiros e o corte dos diferentes vinhos contempla as castas autóctones (Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Amarela, Tinta Barroca e Sousão), conferindo ênfase às características de cada terroir. Vale lembrar que o Baixo Corgo tem influência do clima atlântico e mediterrânico; o Cima Corgo é evidentemente mediterrânico, já o Douro Superior tem um clima mediterrânico e continental.

Não menos original é a linha Eremitas, composta de três vinhos brancos elaborados cada um a partir de uma parcela de vinhedo selecionada na região do Douro Superior, onde o solo é de xisto, mas com pequenas diferenças de composição e profundidade – são, portanto, versões distintas da típica e elegante casta Rabigato. Mateus classifica esses vinhos como “de solos”, já que colocam a geologia de cada parcela em primeiro plano.

Outra novidade de Mateus é a linha Curral Teles, que ele considera “vinhos humanos”. Curral Teles é o endereço da sua adega e a proposta desses vinhos é revelar a influência do homem, desde a escolha das castas até o método de vinificação adotado. São vinhos experimentais e não são produzidos todos os anos. Cada um foi nomeado com uma letra do alfabeto grego em referência ao conhecimento clássico.

Os vinhos de Mateus não são simplesmente maravilhosos, eles carregam um conceito por trás o que os torna ainda mais interessantes. Mas claro que um projeto como esse não aposta em volume, ou seja, os vinhos de Mateus são praticamente vinhos de artesão, produzidos em pequena quantidade, sendo assim, verdadeiras exclusividades.

FOTOS E VÍDEOS